Responsive image

Confederação Nacional

dos Trabalhadores

na Saúde

Responsive image

AO VIVO: Câmara analisa hoje denúncia contra Michel Temer

Data: 02/08/2017 09:35:00
Crédito: Luis Macedo/CD

O plenário da Câmara dos Deputados começa a votar hoje, 2, parecer da Comissão de Constituição e Justiça - CCJ contrário à admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer pelo suposto crime de corrupção passiva. Os trabalhos devem se estender por todo o dia. Com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS, Temer foi denunciado em junho ao Supremo Tribunal Federal pela Procuradoria-Geral da República por corrupção passiva. O STF só poderá analisar a denúncia, porém, se a Câmara autorizar.

Confira a transmissão ao vivo:

14h05 - Primeira sessão do Congresso é encerrada por Rodrigo Maia. Nova sessão é aberta. Deputados da oposição comemoram. A partir de agora, será preciso que 342 deputados registrem presença para que votação ser iniciada. Deputados da oposição estão orientados a não registrar presença para que votação do parecer de denúncia contra Temer não seja realizada. Pelo regimento da Casa, a sessão deliberativa pode durar quatro horas, prorrogáveis por mais uma. Se nenhuma votação estiver em andamento, a sessão deve ser encerrada e o presidente deve abrir outra.

13h24 - Rodrigo Maia (DEM-RJ) colocou cinco requerimentos da oposição – pelo adiamento da votação –, o que gerou protesto por parte dos deputados de oposição porque os requerimentos foram colocados em bloco e com votação simbólica. Rejeitados, agora o plenário vai ouvir por cinco minutos parlamentares a favor e contra a denúncia.

12h40 - Ao todo, já estão presentes na Casa 413 deputados. Já registraram presença no painel eletrônico do plenário 344 deputados. Neste momento os deputados votam pelo requerimento. Oposição em obstrução e deputados não votam.

12h35 - O quórum da Câmara chega aos 342 deputados. Inicia-se a votação eletrônica do requerimento.

12h32 - PSC e PTB votam pelo encerramento das discussões. PMB vota pela continuidade dos debates.

12h25 - Começa orientação de bancada para requerimento de fim da discussão.  PT entra em obstrução. Deputado Carlos Zarattini (PT-SP) recomenda que deputados não votem no requerimento para que votação não se inicie. PP, PSD e PR votam a favor do encerramento da discussão. PSDB vota não. PMDB, DEM e PRB votam sim. PDT vota não e diz que vai entrar em obstrução. PCdoB vota pela continuidade das discussões e contra o requerimento. Deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) diz que partido está em obstrução. SD e PPS votam pelo fim da discussão. PSOL entra em obstrução e diz que a oposição entrou com um mandado de segurança no STF pedindo que a denúncia da PGR deve ser lida em plenário e não o relatório da CCJ. PHS e Rede votam não.  

12h15 – Faltam apenas 26 deputados registrarem presença para que Rodrigo Maia dê início à votação.

12h13 – Fala agora o autor do requerimento que pede o fim dos debates para dar início à votação, deputado da base aliada Fausto Pinato (PP-SP). “Chegou o momento de passar o país a limpo. Os deputados não podem se acovardar. Por favor, registrem presença”.

12h09 - Segundo o Uol: A condição de réu, da qual Michel Temer quer escapar, é uma realidade para um grupo significativo de parlamentares que atuarão como juízes no plenário. Pelo menos 47 deputados respondem a ações penais na mais alta corte do país. Desses, ao menos seis exercem o mandato mesmo condenados à prisão. Todos estão aptos a participar da votação.

11h50 – Segundo o aplicativo da Câmara dos Deputados, Infoleg, na Casa já estão presentes 365 parlamentares. Em plenário, 293 deputados já registraram presença.

11h43 – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), informa aos deputados que, após a fala do deputado José Guimarães (PT-CE), colocará em votação o requerimento que pede a suspensão dos debates.

11h35 - Deputados oposicionistas defendem que, como casa do povo, a Câmara deveria dar ouvido aos 81% dos brasileiros que querem a continuidade da denúncia contra o presidente Michel Temer. “Esta Casa não pode blindar Michel Temer. Temos que dar ouvidos à maioria da população que quer a investigação das ações do presidente”, disse o deputado Júlio Delgado (PSB-MG)

11h19 - Já estão presentes 254 deputados. Se mais 13 parlamentares fizerem o registro eletrônico, qualquer partido pode apresentar requerimento para suspender os debates e iniciar a votação nominal.

11h15 - Reportagem do jornal 'O Globo' destaca: Após reunir a bancada, o líder do PSDB, deputado Ricardo Tripoli (SP), decidiu que irá orientar o voto pela aceitação da denúncia por corrupção contra Michel Temer. Pelas contas internas, dos 46 deputados tucanos, cerca de 26 devem votar contra o governo e, portanto, pela aceitação da denúncia. O partido é um dos principais aliados de Temer e conta com quatro ministérios.

11h02 - “Ladrão é ladrão e tem que ser tratado como ladrão. Não há a menor dúvida que Michel Temer e sua quadrilha praticaram o crime de corrupção passiva”, afirmou o deputado Major Olímpio (SD-SP)

10h52 - Já registraram presença no painel 215 deputados. Parlamentares da base pressionam a mesa para que considere como presentes todos os deputados de oposição que fizeram uso da palavra no microfone. “Pelo regimento interno é necessário registro eletrônico para que a presença seja computada”, esbravejou o deputado oposicionista Pompeo de Mattos (PDT-RS)

10h43 - “Esta denúncia transformou a Câmara no maior balcão de negócios do país. Cargos, emendas, tudo foi entregue para estancar a sangria de Temer. Aqueles que querem a manutenção do presidente são os mesmos que defenderam o massacre aos trabalhadores brasileiros. O povo brasileiro quer eleições diretas. Fora Temer!”, disse o deputado Ivan Valente (Psol-SP)

10h40 - Manifestantes fecharam ruas e rodovias em cidades pelo país nesta quarta-feira, 2. Nesta manhã, foram registrados atos em: Ceará, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Os protestos contra Temer pedem a sua saída e eleições diretas.   

10h26 - O advogado do presidente, Antônio Mariz, encerra sua fala. Agora, falarão, no mínimo, dois deputados a favor da denúncia e dois contra, por 10 minutos. Se ao término do debate estiverem em plenário, pelo menos, 257 parlamentares, poderá ser apresentado requerimento para que seja encerrado o processo de discussão e tão logo se inicie a votação.

10h10 - No momento em que o advogado de Temer fala, o painel da Câmara registra 151 deputados em plenário. 

10h01 - “Reitero que meu relatório é pela inadmissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer”, disse o deputado Paulo Abi-Ackel ao concluir a leitura. Fala agora o advogado de defesa de Temer, Antônio Mariz de Oliveira. Este tem 25 minutos para falar.

09h38 - Deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) começa a ler o relatório aprovado na Comissão de Constituição e Justiça – CCJ da Câmara, pelo não prosseguimento da denúncia.

 

09h30 - Dia de clima quente nos corredores da Câmara. Deputados começaram a fazer as falas contra e a favor de Michel Temer. Cerca de 50 parlamentares de oposição entraram juntos no plenário gritando palavras de ordem contra o presidente. Quanto ao quórum, já se encontram 80 deputados em plenário. Parlamentares de oposição evitam falar ao microfone para que a presença não conste no painel.