Responsive image

Confederação Nacional

dos Trabalhadores

na Saúde

Responsive image

FST delibera calendário de ações contra as reformas do governo

Data: 12/05/2017 13:41:00
Crédito: Divulgação

O Fórum Sindical dos Trabalhadores - FST coordenou, nesta quinta-feira, 11, reunião da plenária junto às confederações filiadas para deliberar calendário de ações contra as reformas do governo, especialmente para o ato público "Ocupe Brasília", marcado para 24 de maio. O encontro realizado na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio - CNTC, antecedeu reunião estratégica convocada para deliberar prioridades e diretrizes das ações encaminhadas com objetivo de organizar mobilizações e articulações políticas que visem a interrupção da agenda de retrocessos.

Os participantes receberam material de apoio para subsidiar as lideranças sindicais com informações relacionadas à lei de terceirização, bem como a íntegra da redação final aprovada, na Câmara dos Deputados, do Projeto de Lei (PL 6.787/2016) referente à reforma trabalhista, hoje, tramitando no Senado Federal como PLC 38/2017.

A plenária do FST também aprovou a “denúncia” às organizações internacionais do trabalho, frente ao cenário político, econômico e social do país. As entidades sindicais encaminharão documento formal pontuando todos os prejuízos que as reformas do governo irão impactar aos trabalhadores à: Organização Internacional do Trabalho - OIT; Confederação Sindical Internacional - CSI; Confederação Sindical das Américas CSA; a União Mundial das Profissões Liberais - UMPL; Universidade dos Trabalhadores da América Latina - UTAL; Instituto Latino Americano de Cooperação e Desenvolvimento - ILACDE; Organização das Nações Unidas - NOS; entre outras.

A análise dos principais pontos para a elaboração de emendas aos projetos também foi discutida na plenária. No entanto, houve consenso de que, na atual conjuntura, a disputa política por meio de campanhas e mobilizações de massa deve ser priorizada. A simultaneidade das ações ganhou consenso, mas com foco nas ruas, na pressão política junto a parlamentares e o Executivo.

Segundo o vice-presidente da CNTS, João Rodrigues Filho, a Confederação comprometeu-se em imprimir material, explicando os males que as reformas podem trazer aos trabalhadores, para ser distribuído na véspera e durante a manifestação. Dirigentes da entidade estarão na grande manifestação em Brasília. A Confederação irá contribuir com a infraestrutura para acolher os manifestantes. “Esse é mais um momento que toda a categoria tem que se unir para lutar em defesa dos nossos direitos. As federações filiadas à CNTS irão enviar representantes para juntos pressionarmos os parlamentares para que não sejam aprovadas as reformas trabalhista e previdenciária”.

Encaminhamentos para a mobilização:

Cada entidade deve reunir seu quadro de diretores, funcionários e trabalhadores da categoria representada para integrarem a grande manifestação em Brasília, dia 24 de maio

As entidades sindicais devem assegurar a disponibilidade de tendas, água, alimentos e banheiros químicos aos manifestantes; agrupar o conjunto de entidades integrantes do FST no mesmo espaço, com tendas próximas umas das outras, conseguindo junto às autoridades de Brasília, a autorização para ocupar o espaço mais próximo possível do Congresso Nacional; estipular horário e cronograma da mobilização.  (Com informações FST e Confederações)